NÃO SUBESTIME A CENTRÍFUGA!

Há uma preocupação natural, na maioria dos laboratórios, com a qualidade dos equipamentos analíticos, aqueles que efetivamente produzem os resultados dos exames. Investimos em tecnologias modernas, controles de qualidade internos e externos e muitas vezes negligenciamos o processo de centrifugação de amostras.

A centrifugação é um dos processos pré-analíticos mais frequentes na prática laboratorial. Centrifugamos a maioria dos líquidos biológicos analisados no laboratório e, muitas vezes, nos esquecemos da importância do equipamento que realiza esse processo.

Investir em uma centrífuga confiável e padronizar sua utilização é, portanto, uma atitude prudente e recomendável para garantir a qualidade da fase pré-analítica.

A centrifugação inadequada pode gerar alguns problemas:

  1. Perda de amostra por quebra ou rompimento do tubo;
  2. Hemólise;
  3. Entupimento total ou parcial de equipamentos (erro aleatório);
  4. Presença de interferentes em suspensão (ex: plaquetas, cristais, fibrina, etc);
  5. Acidentes ocupacionais com perfurocortantes ou por traumas mecânicos;
  6. Contaminações cruzadas;
  7. Ineficiência do gel separador em centrífugas refrigeradas;
  8. Alterações em analitos fotossensíveis;
  9. Alterações em analitos termossensíveis;
  10. Alterações por exposição excessiva do plasma ou soro aos elementos celulares da amostra;
  11. Baixa positividade em exames parasitológicos;
  12. Ausência de elementos em amostras com baixa celularidade.

As principais causas dos problemas acima estão relacionadas à qualidade da centrífuga, ao tempo de centrifugação e à velocidade do rotor (rpm). A frequência de manutenções corretivas e preventivas deve ser controlada, bem como a verificação e calibração do temporizador e da velocidade de rotação.

A tabela que ilustra este post apresenta a relação entre força g e raio para a definição da velocidade de centrifugação. Os parâmetros marcados em vermelho correspondem ao exemplo abaixo:

Raio da centrífuga: 13 cm

Velocidade de centrifugação: 1500 g

Rotações por minuto: 3213 rpmCentrifugação

Fontes

  1. Hermes Pardini – Boletim Técnico: fev 2010
  2. Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML): coleta e preparo da amostra biológica. – Barueri, SP: Manole: Minha Editora, 2014.